Indicações pedindo a distribuição de pontos de coleta para garrafas recicláveis pela cidade são aprovadas em sessão na Câmara

por Assessoria de Imprensa publicado 27/02/2020 08h35, última modificação 27/02/2020 09h38

Foram aprovadas por unanimidade na Sessão Ordinária de semana passada (segunda-feira, 17), na Câmara Municipal de Cáceres, duas indicações que solicitam do Executivo Municipal e da Autarquia Águas do Pantanal a instalação de diversos pontos de coleta para garrafas PET e garrafas de vidro, com o objetivo de reaproveitar o material e evitar que ele seja despejado em aterros.

As proposições são de autoria do vereador Cézare Pastorello (SD), que ao discutir a indicação referente às garrafas PET durante a Sessão relatou o exemplo dado pela capital Cuiabá, que instalou pela cidade máquinas para receberem latas e garrafas PET. Ele afirmou que Cáceres possui um problema de falta de separação de garrafas, normalmente depositadas em aterro; quando cooperativas faziam a coleta destas garrafas, segundo o vereador, o volume diário era de cerca de 5 mil garrafas por dia, equivalentes a 10 mil litros.

Pastorello também apontou que o material da garrafa PET é de alto valor quanto reciclado e que tem deterioração lenta na natureza, concluindo que se trata de um problema tanto ambiental quanto econômico para o município. "Os tambores de PEV para coleta exclusiva de garrafas PET podem ser espalhados em locais com grande fluxo de pessoas, e a destinação pode ser econômica, já que temos uma associação de reciclagem na cidade", complementou. 

 Já quanto à indicação sobre pontos de coleta de garrafas de vidro, que cita um decreto assinado em outubro do ano passado, o parlamentar explicou que o comerciante que vende garrafas de vidro não sabe que tem a obrigação de recebê-las de volta, e também não sabe onde descartá-las. "Por conta disso, pedimos que sejam instituídos pontos de entrega voluntária para materiais volumosos (LEV), como móveis, e para materiais recicláveis (PEV), como garrafas de vidro", afirmou Pastorello.

Discursando durante a Sessão, ele relatou que ambas indicações dizem respeito ao Plano Municipal de Saneamento Básico instaurado no ano passado, o qual não tem sido aplicado em sua totalidade, dada a falta de difusão das novas normas de coleta de lixo que foram estabelecidas por ele. As proposições buscam, portanto, incentivar a administração municipal a implantá-lo de forma plena e massificada, difundindo a informação para que ela alcance a população.

 

Felipe Deliberaes/Assessoria de Imprensa